Fique por dentro da acessibilidade em voos e aeroportos

Fique por dentro da acessibilidade em voos e aeroportos

A acessibilidade nos voos e aeroportos é um direito de todos, principalmente de quem vai viajar. No entanto, é importante que você fique por dentro dos seus direitos em relação a viagem de avião.  

Por isso, neste post, vamos falar sobre a acessibilidade em voos e aeroportos. Por aqui você saberá o que a lei diz sobre o assunto e como garantir o acesso das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida durante as viagens. 

Além, é claro, de entender como é feito o embarque e desembarque dos passageiros. Boa leitura.


O que diz a lei sobre a acessibilidade em voos e aeroportos? 

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou em 2018, que um cadeirante fosse indenizado por danos morais.  A companhia aérea a qual ele viajou não garantiu um transporte seguro, pois o cliente teve que ser carregado no colo pelos funcionários da empresa.

Ato que deixou o passageiro constrangido diante das outras pessoas, mas que poderia ter sido evitado. Neste caso, a companhia aérea deveria oferecer equipamentos adequados para o acesso dos passageiros às aeronaves. 

Além disso, a resolução 280 da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) traz orientações sobre a acessibilidade em voos e aeroportos. Entre elas, a norma proíbe que a pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida seja carregada no colo, exceto nos casos em que há necessidade de evacuar com emergência o avião.

No entanto, o que fazer? Neste caso, os aeroportos devem ter finger, que é uma espécie de ponte que leva o passageiro direto à porta do avião. Desta maneira, o embarque e o desembarque de passageiros com deficiência ou mobilidade reduzida são facilitados. 

Entretanto, nem todos os aeroportos do País possuem esse recurso. Para esses casos, a ANAC determina que o embarque de passageiros que não conseguem subir as escadas por usarem cadeiras de rodas, muletas ou andadores deve ser feito por elevador de acessibilidade, rampas móveis ou ambulift, um veículo com uma plataforma elevatória montada sobre a carroceria. 

 

Quais são os direitos da pessoa com deficiência e mobilidade reduzida nos aeroportos?

Veja os principais direitos das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida:

 

Solicitação dos serviços 

Uma das coisas importantes que você deve saber é que os passageiros com deficiência ou mobilidade reduzida precisam avisar à empresa a área das necessidades. Portanto, informe se há necessidade de um acompanhante. 

No caso dos deficientes visuais, o passageiro precisa informar se há necessidade de levar o cão guia. Também é importante pensar em quais ajudas técnicas e assistências é necessário. 

Por fim, faça tudo isso com antecedência e de preferência na hora que comprar a passagem de avião. No entanto, caso não consiga informar a companhia aérea, faça isso entre 48 horas e 72 horas antes do voo.

 

Assistência especial 

Quem possui deficiência ou mobilidade reduzida têm direito a assistência especial oferecida pelas companhias aéreas. Assim como quem tem idade igual ou superior a 60 anos, é gestante, lactante ou que tem criança de colo.

 

Garantia de acessibilidade 

Mesmo que o passageiro com deficiência ou mobilidade reduzida esqueça de informar a empresa área sobre as necessidades, ele poderá embarcar. Entretanto, só poderá utilizar os serviços assistenciais que forem disponíveis pela companhia.

 

Desconto para o acompanhante 

As companhias aéreas orientam que os passageiros com deficiência só poderão viajar sozinhos se compreenderem as instruções de segurança e possuírem perfeito estado mental.  

Além disso, é importante ter autonomia para realizar atividades como ir ao banheiro, se alimentar, aplicar a própria medicação caso seja necessário. Também devem saber utilizar a máscara de oxigênio de forma independente. 

Já quem não tem essa autonomia, é necessário levar um acompanhante. Neste caso, a pessoa deve ser maior de 18 anos e ter condições de ajudar quem tem mobilidade reduzida ou deficiência.

 

Transporte de Cães-guia

Os passageiros com deficiência visual podem transportar cães-guia de acompanhamento. Esses animais são treinados para viajar de avião e podem voar ao lado dos proprietários, fora da caixa de transporte. 

No caso de uma viagem nacional, há a necessidade do comprovante de treinamento e da carteira de vacinação do animal, emitida pelo médico veterinário. No documento é preciso constar as vacinas antirrábica e múltipla válidas, além do tratamento anti-helmíntico.

Já no caso de viagem internacional, devem ter documentos adicionais como carteira e plaqueta de identificação e o Certificado Zoosanitário Internacional (CZI).

 

Quais as principais recomendações no check-in e no embarque?

  • Procure o balcão ou os funcionários da companhia aérea e solicite prioridade no check-in;
  • Reforce para o atendente as assistências solicitadas;
  • Fale se há necessidade de cadeira de rodas, bengalas, muletas ou andadores;

 

Quais as recomendações durante a viagem e o desembarque?

  • Peça ajuda aos funcionários da companhia aérea;
  • Espere os demais passageiros saírem do avião para depois desembarcar;
  • Lembre-se que só terá preferência no desembarque em caso de uma conexão.

 

Agora que você ficou por dentro da acessibilidade em voos e aeroportos será mais fácil viajar, não é mesmo? Basta solicitar o que precisa com antecedência para ter uma viagem tranquila! 

 

Para conferir outros artigos como esse, acesse o nosso blog e fique sempre por dentro das novidades! 

Guia para novos projetos, com padrões adaptados para acessibilidade

 

Elevador de acessibilidade ou rampa? Qual é o melhor?

Elevador de acessibilidade ou rampa? Qual é o melhor?

Vivemos em uma época em que cada vez mais é importante pensar na inclusão. Por isso, um elevador de acessibilidade não é um luxo e sim uma maneira de oferecer conforto a quem vai utilizar o imóvel. Afinal de contas, todos sabem qual é a importância da acessibilidade nos dias atuais, não é mesmo? 

No entanto, há uma dúvida sobre qual é o melhor equipamento para garantir a acessibilidade das pessoas. Será que é o elevador de acessibilidade ou a rampa? Essa e outras perguntas vamos responder neste artigo. Acompanhe a leitura! 

 

Por que pensar em um elevador de acessibilidade? 

A acessibilidade proporciona a inclusão das pessoas que possuem deficiência física, mobilidade reduzida ou qualquer outro tipo de deficiência. Ela permite que todos participem de atividades e promove acesso a diversos ambientes.  

Assim, um elevador de acessibilidade integra socialmente as pessoas. Por exemplo, um cadeirante ou uma pessoa com mobilidade reduzida pode ter conforto nos condomínios, ou em clubes quando há um elevador de acessibilidade. 

Assim como as pessoas com deficiência visual ou auditiva, grávidas e idosos, conforme previsto na Lei de Acessibilidade. 

 

Quais as vantagens de um elevador de acessibilidade? 

O elevador de acessibilidade faz o transporte vertical de pessoas que têm dificuldades de locomoção ou outro tipo de deficiência. Pode ser usado em edifícios, shoppings e faculdades. 

Em relação a construção do elevador, ele é inserido nos espaços de modo que harmoniza os ambientes, ou seja, não prejudica a arquitetura e o projeto original local. Outro detalhe importante é que o elevador de acessibilidade pode ser instalado em locais onde uma rampa ou passarela não são viáveis. 

E por fim, podemos dizer que o elevador proporciona a acessibilidade além das portarias de qualquer edifício. Ele melhora o dia a dia de quem utiliza os espaços públicos e privados.

 

Quais as vantagens das rampas de acessibilidade? 

As rampas de acessibilidade podem ser usadas em espaços como shoppings, restaurantes, lojas, estabelecimentos comerciais, clubes, condomínios, etc. Outra vantagem é que assim como o elevador de acessibilidade, ela serve para cadeirantes, mulheres grávidas ou que se deslocam com carrinhos de bebê. 

Também são indicadas para pessoas que usam bengalas ou que se deslocam com o auxilio de andadores ou qualquer outro meio de locomoção. No entanto, há uma desvantagem nesse tipo de recurso.

Geralmente, não é possível encontrar instalações adequadas e rampas adaptadas para todos os espaços que você deseja. Assim, é preciso analisar bem se a rampa de acessibilidade realmente será útil para o que você precisa. 

Afinal de contas, é mais fácil preparar o ambiente para um elevador do que para uma rampa, não é mesmo?

 

Qual é o melhor elevador de acessibilidade? 

O melhor elevador de acessibilidade é aquele que tem garantia de fábrica e é produzido por uma empresa que realmente entende do ramo, ou seja, que está há anos no mercado, como é o caso da JE Elevadores. 

Os elevadores de acessibilidade da JE são produzidos com o que há de mais moderno no mercado e podem ser utilizado tanto em residências quanto em ambientes comerciais. 

O equipamento tem a qualidade e a funcionalidade como aliadas a um design moderno, que se encaixa bem nos mais variados estilos, sem comprometer a estética do conjunto. Além disso, o elevador de acessibilidade da JE Elevadores ocupa menos espaço que um elevador tradicional. 

Com isso, você tem uma solução de acessibilidade rentável, ou seja, projetada para ser instalada no interior ou no exterior da residência ou comércio. 

 

Quais as principais vantagens do equipamento? 

Entre as principais vantagens do equipamento da JE Elevadores podemos citar: 

 

Promoção da cidadania 

O elevador de acessibilidade da JE Elevadores promove o acesso livre a qualquer ambiente, por qualquer pessoa. 

 

Valoriza o imóvel 

Outra vantagem é que o equipamento valoriza o imóvel, pois hoje em dia há leis de acessibilidade e respeitá-las mostra o quanto você se preocupa com as pessoas. 

 

Aumenta e fideliza clientes 

Para você que é investidor e tem um empreendimento como um clube ou academia, há várias vantagens dos elevadores de acessibilidade. Entre elas, é que oferece conforto à quem frequenta os espaços e com isso aumenta e fideliza os clientes. 

Como você pode ver, o elevador de acessibilidade é mais vantajoso que a rampa. Portanto, quando for investir em acessibilidade nos espaços pense em um equipamento que atenderá todos os tipos de público. 

Quer conhecer o elevador de acessibilidade da JE Elevadores? Acesse esse link e saiba mais sobre o equipamento!

Precisando de um Elevador de Acessibilidade? Solicite-nos um orçamento de um elevador de acessibilidade e conheça as principais vantagens! | JE Elevadores

 

Rampa de acessibilidade: necessidade em estabelecimentos comerciais

Rampa de acessibilidade: necessidade em estabelecimentos comerciais

A rampa de acessibilidade permite o acesso das pessoas com deficiência ou que utilizam cadeira de rodas em diversos lugares, sejam públicos ou privados. 

Além disso, adotar rampas de acesso em imóveis é uma grande vantagem, pois você dá o direito a todos, inclusive à quem tem mobilidade reduzida de utilizar o espaço com muita praticidade e conforto. 

No entanto, neste artigo, você verá porque é importante instalar uma rampa de acessibilidade em estabelecimentos comerciais. Boa leitura!

 

Por que ter uma rampa de acessibilidade? 

Em primeiro lugar, o esforço para se instalar uma rampa de acessibilidade diz respeito à necessidade de se reforçar os valores de direitos humanos. Todos somos livres e iguais perante à constituição e devemos usufruir do nosso direito de visitar qualquer espaço que é utilizado por outras pessoas. 

É importante levar em conta os acessos quando for realizar qualquer projeto. A lei brasileira, como a NBR 9050 estabelece alguns parâmetros que vão além da preocupação dos direitos humanos. A norma dita regras sobre acessibilidade para todos.

Além dessa norma, o Decreto 5.296, que regulamenta a Lei 10.048, de 8 de novembro de 2000 também estabelece algumas regras. Assim, é regulamentada a acessibilidade em estabelecimentos comerciais através de acesso, elevadores e outras soluções obrigatórias. Portanto, instalar uma plataforma de acessibilidade no estabelecimento é uma questão de conscientização e um requerimento legal.

 

O que você deve fazer ao instalar uma rampa de acessibilidade? 

Antes de instalar uma plataforma de acessibilidade, conheça as necessidades e os obstáculos que as pessoas com deficiência poderão enfrentar no estabelecimento. É válido ressaltar também o que é preciso verificar nas normas brasileiras o que as rampas devem ter.

Além disso, é importante ficar atento à largura da rampa e ao que elas devem ter. Também é preciso pensar na inclinação — que é importante para a segurança para quem irá utilizá-la — e no comprimento da projeção horizontal. 

 

O que é melhor: rampa de acessibilidade ou elevador? 

Dependendo do espaço no ambiente, não é possível a instalação de uma rampa de acessibilidade. Portanto, dependendo da condição é melhor optar por um elevador ou uma plataforma hidráulica/eletromecânica. 

Em caso de desníveis, o elevador é uma ótima opção. O equipamento possui um sistema eletromecânico e hidráulico. Assim, o usuário consegue vencer esse obstáculo sem fazer nenhum tipo de esforço. 

Portanto, se você deseja tirar todas as dúvidas, faça uma comparação. Peça também opiniões ao arquiteto ou responsável pelo projeto. 

[Infográfico] Quer saber mais sobre os modelos de elevadores de acessibilidade? | JE Elevadores

 

O que é importante observar nas especificações das plataformas de acessibilidade? 

Há alguns requerimentos técnicos para instalar as plataformas de acessibilidade. Assim, cada estado tem uma norma que por sua vez é regulada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).  Um exemplo são os elevadores. Os equipamentos que são públicos devem possuir dimensões de 0,90m, X 1,40m, enquanto os privados, que só usam um usuário por vez, 0,80m X 1,25m.

Além disso, a projeção do percurso deve ser sinalizada no piso e as escadas não podem ser obstruídas. Por sua vez, as portas do elevador poderão ser abertas se o desnível entre a plataforma e o piso for superior a 7,5 cm. 

 

Como cumprir com as normas de acessibilidade no estabelecimento? 

Veja as nossas principais dicas: 

 

Instale uma rampa de acessibilidade 

A primeira das nossas dicas é instalar uma rampa de acessibilidade. Para escolher a melhor, opte por uma empresa que está há anos no mercado e que entende do assunto. Assim, você garantirá um equipamento seguro e de qualidade para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. 

 

Tenha uma estrutura e sinalização adequadas

Todo estabelecimento deve ter uma estrutura e sinalização adequadas para quem tem mobilidade reduzida e se locomove com o auxílio de uma rampa para cadeirante ou até mesmo muletas. Também é importante alertar sobre os desníveis do piso. 

 

Conte com um espaço para o deslocamento da cadeira de rodas

No caso de cadeirantes, a determinação da ABNT é que o espaço de deslocamento para a cadeira de rodas deve ser 0,80 m por 1,20m. Portanto, a área de circulação deve respeitar essas medidas e prever espaço suficiente para as manobras de cadeirante. 

 

Ofereça vagas de estacionamento para portadores de deficiência

Outra dica é reservar vagas de estacionamento para pessoas com deficiência. Esses espaços devem estar localizados em uma área próxima à entrada do comércio. Portanto, o mesmo deverá ser sinalizado de maneira adequada. 

 

Tenha uma rota acessível 

A ABNT também determina que o estabelecimento deverá ter uma rota acessível. Isso significa que o trajeto deve ser contínuo, sinalizado e desobstruído.

Este trajeto conecta os ambientes externos e internos de edificações e espaços. Ele também pode ser sinalizado de forma autônoma e segura por todas as pessoas, inclusive as que têm deficiência. 

A rota acessível precisa levar em conta a parte externa, que pode precisar de instalar rampas.  

 

Faça portas com vão livre

Todas as portas do estabelecimento deverão ter vão livre de no mínimo 0,80m e altura mínima de 2,10m. Além disso, as maçanetas devem ser instaladas em altura entre 0,9m a 1,10m e devem ser operadas em um único movimento, sem exigir muito esforço. 

 

Cuide dos espaços para mesas de trabalho ou refeições 

A recomendação é de que pelo menos 5% das mesas de trabalho ou de refeições sejam acessíveis para as pessoas com cadeiras de rodas. A mobília deverá ter uma altura entre 0,75m e 0,85m e permitir o avanço da cadeira até no máximo 0,50m.

 

Indicação dos equipamentos de acessibilidade 

Em equipamentos de acessibilidade, é necessário que sejam indicados de acordo com o Símbolo Internacional de Acesso (SAI). Assim, as pessoas estarão bem informadas que no espaço há equipamentos que promovem o acesso das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.  

 

Coloque sinalização tátil 

Quem tem deficiência visual precisa de um ambiente com uma sinalização tátil. A representação deve ser por meio de relevos ou na linguagem braille. 

 

Possua sinalização sonora 

Outra dica importante é emitir sinalização sonora para os deficientes visuais. Ela pode alertar de perigos e também orientar onde está instalada a plataforma de acessibilidade ou demais equipamentos para locomoção. 

 

Pense na largura dos corredores 

Em ambientes onde há corredores, pense em ter alguns com uma largura mínima de 90 cm. Tenha também um balcão de atendimento rebaixado e sanitários adaptados. Assim, as pessoas com mobilidade reduzida terão os espaços livres. 

Gostou das nossas dicas? Leia o nosso próximo post sobre cotas para deficientes nas empresas e acessibilidade nas indústrias!

Precisando de um Elevador de Acessibilidade? Solicite-nos um orçamento de um elevador de acessibilidade e conheça as principais vantagens! | JE Elevadores

Quais são os tipos de rampas de acessibilidade para lojas?

Quais são os tipos de rampas de acessibilidade para lojas?

As pessoas com deficiência devem ser respeitadas, principalmente no ambiente urbano. Por isso, é importante que você ofereça rampas de acessibilidade nas repartições públicas e privadas. É que essas rampas de acesso são uma das formas mais comuns de ajudar quem tem mobilidade reduzida ou qualquer outro tipo de deficiência.  

Mas porque você deve instalar as rampas e qual é a melhor maneira de fazer isso? Quais os tipos de rampas para as lojas? Essas são algumas perguntas que vamos responder neste artigo. Acompanhe a leitura! 

Por que instalar rampas de acessibilidade nas lojas?

Com as rampas de acessibilidade, você consegue atender qualquer cliente em seu negócio, inclusive as pessoas com deficiência. Isso garante que nenhuma venda seja perdida por falta de condições de acesso no seu estabelecimento. 

Além disso, todos os seus clientes devem ter condições de entrar e sair de qualquer lugar. As rampas de acessibilidade mostram que você e o seu estabelecimento se preocupam com as necessidades especiais de locomoção dos cadeirantes, e exercem a cidadania ao criar formas alternativas de acesso.

Outro ponto é que ao instalar as rampas de acessibilidade, você cumpre as seguintes normas:

  • Consegue oferecer uma sinalização adequada às pessoas que se locomovem com muletas e outros equipamentos auxiliares como cadeiras de rodas;
  • Auxilia nas vagas especiais de estacionamento para as pessoas com deficiência;
  • Oferece uma rota acessível para todo o estabelecimento comercial.

O que você deve fazer ao instalar uma rampa de acessibilidade?

Antes de instalar qualquer um dos tipos de rampas de acessibilidade, você precisa conhecer as necessidades e os obstáculos que as pessoas com deficiência podem enfrentar no seu estabelecimento. Dessa maneira, você vence os desníveis de forma prática e otimiza para a realidade das pessoas. Pense também em oferecer maior conforto para quem procura por sua loja, independente se ela é grande ou pequena. 

[infográfico] Modelos e Aplicações da Plataforma e Elevador de Acessibilidade | Baixe grátis | JE Elevadores

O que é melhor: rampa para cadeirante ou elevador?

Em alguns casos, como um desnível muito alto, um elevador de acessibilidade pode ser indicado para a sua loja. O equipamento tem um sistema hidráulico ou eletromecânico. Dessa maneira, o usuário vence o desnível sem qualquer esforço.

Já se o seu espaço é suficiente, você pode optar por instalar rampas de acessibilidade. Elas, com certeza, vão ajudar pessoas com mobilidade reduzida e que precisam de qualquer meio para se locomover por vários ambientes.  

Quais os tipos de rampas de acessibilidade? 

Tem gente que acha que a única maneira de construir uma rampa de acessibilidade é quebrando o chão, usando o concreto para fazer uma pequena rampa. No entanto, há vários modelos que você pode instalar no seu estabelecimento e é sobre isso que vamos falar neste tópico do artigo. 

Também é importante ressaltar que não conhecer as outras soluções em rampas de acessibilidade faz com que muitos lojistas não as instalem em suas lojas e contribuem para o grande problema de mobilidade que enfrentamos no Brasil. A rampa, que é construída na frente da loja ou no seu interior, é apenas uma forma de oferecer acessibilidade. Há maneiras mais simples e até mais baratas de proporcionar facilidade de locomoção no seu estabelecimento. No entanto, tudo o que você precisa fazer é conhecê-las.

Veja os principais modelos de rampas de acessibilidade e suas vantagens:

Rampas de acessibilidade hidráulicas/eletromecânicas

Essas rampas devem ter uma pequena plataforma e um motor de sustentação. Juntas, essas duas partes elevam o usuário e concedem acesso aos desníveis grandes ou pequenos, como se fossem um pequeno elevador. Por ser simples de instalar e ter um bom preço, elas têm uma característica universal que pode ser usada para vencer qualquer obstáculo de locomoção. Além disso, esse tipo de rampa atende as normas da NBR 9050. 

A rampa de acessibilidade hidráulica também está cada vez mais presente nos centros urbanos brasileiros. Ela é a mais recomendada para estabelecimentos comerciais, já que transpõe qualquer dificuldade de mobilidade com praticidade e pode ser construída em locais de dimensões menores, onde uma rampa de concreto não caberia.

Você também pode encontrar rampas de acessibilidade com essas especificações em vários estabelecimentos: ônibus, carros, vans e até em residências. 

Veja as vantagens da rampa de acessibilidade hidráulica ou eletromecânica: 

  • Adequação em quase todos os ambientes;
  • Praticidade de instalação;
  • Preço justo;
  • Segurança.

Rampas de acessibilidade estáticas

São as rampas comuns construídas na entrada do estabelecimento ou para vencer desníveis no seu interior. Rampa de acessibilidade feita nesse modelo é de concreto e deve ser regida pela NBR 9050. Ela possui as especificações que tratam de condições de uso como a inclinação da rampa, o tipo de revestimento e a sua posição. Essa rampa de acessibilidade é vista nas calçadas das cidades para auxiliar quem anda de cadeira de rodas, graças as iniciativas da Prefeitura para melhorar a locomoção na cidade e auxiliar portadores de necessidades especiais.      

Rampas de acessibilidade portáteis

Essas rampas são para situações específicas, geralmente não possuindo muita utilidade fora delas. As rampas de acessibilidade portáteis são usadas para transpor pequenos desníveis e obstáculos como degraus, canaletas, o meio-fio, etc. Essas rampas de acessibilidade são feitas com placas de aço galvanizado com uma ligeira inclinação, e não requerem instalação prévia. Tudo o que você precisa fazer é colocá-la onde você quer, como na entrada da sua loja. 

Mas tome cuidado, pois esse tipo de rampa serve apenas para algumas situações específicas como pequenas elevações e obstáculos. Se você possui um desnível maior, essas rampas não conseguem atingir a inclinação recomendada, como a largura da rampa.  

Vantagens da rampa de acessibilidade portátil:  

  • Instalação simples;
  • Transposição de pequenos obstáculos;
  • Possibilidade de guardar o equipamento.

O que recomendamos?

As rampas hidráulicas ou eletromecânicas são as mais versáteis dessa lista. Elas suprem a necessidade de muitas pessoas com dificuldades de locomoção, enquanto as outras acabam por oferecer soluções básicas. Se tivéssemos que escolher uma dessas rampas, ficaríamos com ela, mas o ideal mesmo é você combinar estratégias. 

A entrada do seu estabelecimento pode conter uma rampa de acessibilidade construída, que nesse caso é até mais prática, e no seu interior outras soluções, como rampas hidráulicas. Mas lembre-se sempre que ao instalar qualquer rampa, devem ser previstos os seus objetivos como lojista e as necessidades dos clientes. O importante é visar o melhor para todos. 

Como você pode ver há vários tipos de rampas de acessibilidade. Agora que você conhece cada um deles, poderá escolher o que vai atender as necessidades da sua loja, não é verdade? 

Caso tenha ainda alguma dúvida sobre qual melhor rampa de acessibilidade escolher, entre em contato com a JE Elevadores e conheça os melhores projetos de acessibilidade para a sua loja! 

[Plataforma de Acessibilidade] Precisando de uma plataforma de acessibilidade? Solicite-nos um orçamento com condições especiais! | JE Elevadores

Acessibilidade em condomínios: como tratar essa questão

Acessibilidade em condomínios: como tratar essa questão

A acessibilidade em condomínios é um assunto que deve ser sempre debatido. Não importa se você é um investidor, que gosta de comprar imóveis, ou é um empresário, que realiza eventos. Ou se você é quem mais necessita ter acesso aos condomínios. A verdade é uma só: todos devem cumprir com as regras de acessibilidade.

Mas como tratar desta questão? Como ajudar a pessoa com deficiência? Neste post, vamos falar sobre a acessibilidade em condomínios. Se você se interessou pelo assunto, continue com a gente e acompanhe a leitura do nosso artigo!

[infográfico] Modelos e Aplicações da Plataforma e Elevador de Acessibilidade | Baixe grátis | JE Elevadores

 

Como se preparar para as obras de acessibilidade em condomínios?

Adeque o condomínio às regras de acessibilidade

Você deve adequar o condomínio às regras de acessibilidade. Isso é uma questão legal e por esse motivo não precisa da aprovação da assembleia de condôminos. Entretanto, é importante convocar uma reunião com os moradores para explicar as necessidades de oferecer acessibilidade às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, e também analisar os orçamentos.

Explique a importância das obras

É necessário explicar a importância das obras. Isso diminui a resistência por parte de alguns moradores. Esclareça que, embora a lei estabeleça que as instalações sejam acessíveis, ter um condomínio que permite livre acesso por parte dos que tem deficiência ou mobilidade reduzida, garante dignidade e agrega valor ao imóvel.

Fale sobre as questões judiciais

Destaque que o síndico pode ter riscos de não adequar o condomínio às normas de acessibilidade. Há várias ações na Justiça contra condomínios que não obedecem as leis e, elas podem ser custosas, especialmente por causa das indenizações.

Crie um fundo de obras

Uma boa maneira de tratar da acessibilidade em condomínios é criar um fundo de obras para este ponto específico. Assim, não sacrifica orçamento e atende aos moradores e visitantes portadores de deficiência ou mobilidade reduzida.

Como promover a acessibilidade em condomínios?

Pense em um projeto seguro

Para começar, você deve pensar em um projeto mais seguro, que atenda pessoas de todas as idades e habilidades. Pense em fazer as adaptações necessárias para quem anda de cadeira de rodas ou para aquela mãe que tem crianças de colo. Você deve pensar em promover a acessibilidade para quem tem dificuldade com a locomoção.

Fique por dentro da Lei de Acessibilidade

Conheça a constituição federal e fique por dentro da Lei de Acessibilidade.  Ela é bem clara em relação a acessibilidade em condomínios. Quando se fala sobre isso, é importante lembrar que não é apenas uma questão legal, mas sim, os condomínios residenciais precisam oferecer mais conforto e qualidade de vida às pessoas.

Só para lembrar, a Lei de Acessibilidade entrou em vigor em 2004 e mostra o que deve ser feito em relação à acessibilidade das pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida.

Conheça a ABNT

Além da Lei Federal, também existe a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) que trata da implementação da acessibilidade em novas construções e adaptação de empreendimentos mais antigos. Hoje, os empreendimentos precisam ter rampas de acesso, vagas de garagem para pessoas com deficiência e acesso ao condomínio para pessoas com deficiência permanente ou temporária.

É bom ressaltar que essa lei contempla as pessoas com deficiência, gestantes, idosos e obesos, ou seja, todas as pessoas que precisam de acessibilidade em condomínios.

Fique de olho nas leis municipais e estaduais

Você deve ficar de olho nas leis municipais e estaduais. Muitas tratam da acessibilidade em relação à realização de obras. Em São Paulo, por exemplo, há a lei Nº 12.907, de 2008, consolida a legislação referente à pessoa com deficiência em todo o Estado. Outras cidades, como Porto Alegre e Rio de Janeiro também têm leis que complementam e suportam a legislação federal. Portanto, na hora de realizar obras em seu condomínio ou em sua casa de shows, veja se na sua cidade há alguma lei de acessibilidade.

Ofereça mais conforto às pessoas

Ao falar de acessibilidade em condomínios, as pessoas pensam em cadeirantes, mas também existem os deficientes visuais e as pessoas com mobilidade reduzida como os idosos. Há, ainda, aqueles com doenças que limitam os movimentos. Você, como empresário ou investidor também deve pensar nas mulheres gestantes com gravidez de risco ou outras condições que possuem restrições de locomoção.

Ao fazer as obras no condomínio, procure adaptar não apenas a portaria, mas as áreas de lazer como a piscina, salão de festas e playground. Pense também nos elevadores e estacionamentos. Não se esqueça que acessibilidade é possibilitar as pessoas acesso as áreas comuns.

Veja o que é preciso adaptar

Os locais mais comuns são os que precisam de adaptação como pisos, rampas e escadas, portas de acesso, calçadas, banheiros, estacionamento e elevadores de acessibilidade. O piso precisa ser regular, firme e anti-derrapante. Assim, você oferecerá mais segurança. A rampa e as escadas devem ser sinalizadas, ter corrimão e piso tátil adequado. As portas de acesso devem facilitar a entrada de pessoas com cadeira de rodas, carrinhos de bebê e andadores.

Já os interfones do condomínio, devem ter a marcação em braille, corrimão nas escadas e banheiros sociais adaptados. Também é importante pensar no estacionamento. Ele deve ficar próximo às entradas e elevadores mais espaçosos. Coloque sinalizadores luminosos ou alto- falantes que indicam os andares. Instale botões em Braille, e sensores. Otimize tudo para trazer mais comodidade.

Por que o elevador de piscinas é importante para o seu negócio?

O elevador de piscinas torna o seu clube ou a sua casa de shows mais universal. Desta forma, você faz com que a pessoa com mobilidade reduzida se sinta mais independente, já que o elevador pode ser operado por um passageiro. Além disso, o elevador de piscinas pode ser usado por gestantes ou qualquer pessoa com problemas de mobilidade.

Agora que você aprendeu como tratar a acessibilidade em condomínios poderá adaptar seus empreendimentos, não é verdade? Esteja sempre dentro da lei, ofereça um espaço adequado às pessoas e valorize seus empreendimentos!

Vamos ler um pouco mais sobre acessibilidade? Acesse o nosso próximo post e veja porque considerar a acessibilidade em piscinas!  

Clique aqui e solicite seu orçamento para o Elevador de Acessibilidade | JE Elevadores

5 motivos para adquirir a plataforma de acessibilidade

5 motivos para adquirir a plataforma de acessibilidade

A plataforma de acessibilidade só tem vantagens. Não há desvantagens em instalar uma em qualquer lugar, sendo que em estabelecimentos comerciais, a única desvantagem seria o preço. Isso cai por terra quando você pensa no aumento de público que você terá, que logo paga o investimento que nem é tão alto.

Hoje em dia, em um mundo onde cada vez mais a cidadania e a inclusão imperam, ter uma plataforma de acessibilidade já está ficando cada vez mais comum. Se adequar-se hoje já é importante, em um futuro próximo será mais ainda.

Os ganhos com a plataforma de acessibilidade são inegáveis, e para provar, elaboramos este artigo. Aqui, trazemos cinco argumentos para te convencer que vale – e muito! – a pena investir em uma plataforma de acessibilidade. Vamos lá?

1 – Aumento do seu público

Hoje em dia, as empresas que não incluem uma plataforma de acessibilidade na entrada e nas dependências do seu estabelecimento perdem clientes para as que já possuem o equipamento.

A lógica é simples: se o seu negócio não é inovador demais, é bem provável que na sua cidade existem vários concorrentes seus. Desses concorrentes, quem não possui a plataforma de acessibilidade está em desvantagem em relação a quem tem.

Simples assim. Para aumentar o seu movimento, instale uma plataforma de acessibilidade e permita que o público portador de mobilidade reduzida aproveite-se do ambiente como todo mundo!

2 – Valorização do imóvel

Instalar uma plataforma de acessibilidade no imóvel instantaneamente aumenta o seu valor de revenda.

Pense por um momento em prédios baixos na sua cidade, de até três andares. A maior parte deles não possui nenhum tipo de apoio para pessoas com mobilidade reduzida, ainda que esteja previsto na NBR 9050 que eles devem ter.

Oferecer um imóvel com plataforma de acessibilidade, então, significa oferecer um imóvel mais atraente para futuros proprietários. A locação pode ser feita por mais pessoas e não há nenhum problema com a lei, o que faz o imóvel se valorizar muito.

3 – Conformidade com a lei

E já que estamos falando da lei, precisamos destacar esse ponto. A plataforma de acessibilidade garante que você não terá multas pela não aplicação da NBR 9050 no seu estabelecimento comercial ou prédio residencial.

Essa não conformidade, no fim, traz multas pesadas para o negócio. Evitá-las é bem simples, e o investimento nas plataformas, que é pequeno, não chega nem perto do valor que você terá que pagar caso seja multado.

4 – Fidelização de clientes

Além de aumentar seu público, você está fidelizando clientes quando decide instalar uma plataforma de acessibilidade no seu negócio. Muito mais do que simplesmente atrair pessoas que nunca mais vão voltar, seus clientes com mobilidade reduzida vão preferir você.

Isso não tem preço. Ter um bom relacionamento com clientes é fundamental para a saúde de qualquer negócio, e pode ter certeza: clientes satisfeitos vão te recomendar para outros!

5 – A plataforma de acessibilidade promove a cidadania

Além de tudo isso que dissemos no artigo, há o motivo mais óbvio: a plataforma de acessibilidade promove a cidadania.

Ao criar um espaço onde todos podem frequentar com facilidade, você está dando um salto em direção ao rumo que o país deve tomar. A inclusão é um esforço necessário, e você passa a ser parte ativa dele somente com uma simples plataforma de acessibilidade.

E se nós dissemos simples, pode ter certeza: para a pessoa com mobilidade reduzida esse passo já facilita e muito sua vida. A falta de estabelecimentos e locais comuns com uma plataforma de acessibilidade é uma realidade preocupante no Brasil. Faça parte da mudança e aja em prol da cidadania!

A plataforma de acessibilidade, como você pode ver, tem muito mais vantagens do que pontos negativos. Na verdade, além do investimento mínimo, fica até difícil em pensar em algo de ruim que elas trazem.

Para que tudo fique ainda melhor, o ideal é trabalhar com uma revendedora que entende do assunto e sabe o que está vendendo. A JE Elevadores é autoridade em plataformas elevadas de acessibilidade, oferecendo qualidade e segurança.

Gostou da plataforma e não sabe como começar? Então entre aqui e coloque as medidas necessárias e peça um orçamento!