Desde 2004, os empreendimentos levam a ABNT NBR 9050 em consideração na hora de construir ou reformar ambientes abertos ao público. Isso é ainda mais importante quando tratamos da área da saúde, com hospitais e unidades básicas. 

Confira o artigo completo com a gente!

 

Entenda como funciona a acessibilidade para deficientes no caminho à unidade de saúde

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 45 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência. Isso significa que 25% da população precisa de acessibilidade. Portanto, o acesso à saúde começa antes de chegar às unidades básicas de atendimento. É necessário pensar desde a vaga do estacionamento, aos banheiros e demais ambientes onde há circulação de pessoas.

Acessibilidade para deficientes no caminho à unidade de saúde

Quando o assunto são os arredores da unidade de saúde, a recomendação é que seja criada uma rota acessível junto ao Departamento de Trânsito da cidade, para que haja facilidade no acesso ao local.

Também é essencial instalar semáforos com avisos sonoros, ao invés de apenas visuais. Com isso, a acessibilidade para pessoas com deficiência se torna ainda mais abrangente. 

Outro detalhe importante é a adaptação de pelo menos um acesso ao transporte público. Pode ser uma rampa ou elevador de acesso até a plataforma onde passa o transporte coletivo. Já para as pessoas portadoras de deficiência que vem de carro, são necessárias vagas exclusivas para deficientes e idosos.

 

Pense em rotas acessíveis para todos

É importante pensar em rotas acessíveis para deficientes visuais e físicos. Ao entrar na unidade de saúde, é importante pensar nos desníveis. Eles devem ser vencidos com rampas ou com elevadores de acessibilidade, soluções mais seguras e modernas para as pessoas com deficiência e que precisam de cadeiras de rodas. 

 

Promova a acessibilidade dentro da unidade de saúde

Dentro da unidade de saúde, as portas devem conter vão livre de pelo menos 0,80m, espaço suficiente para que cadeirantes e pessoas portadoras de outras deficiências consigam manuseá-las. A altura mínima é de 2,10m. Isso vale tanto para portas de acesso quanto para elevadores. 

Na parte inferior é recomendado que essas portas possuam guardas inferiores e nos batentes para absorver o impacto de bengala, cadeiras de rodas e andadores. Acionamentos manuais devem estar a 0,90 m ou 1,10 m do piso acabado no mínimo.

Acessibilidade para deficientes na área da saúde | JE Elevadores

 

Instale corrimãos nas escadas

As escadas no interior da unidade de saúde devem conter corrimãos nos dois lados, sempre que for possível instalar. Eles precisam estar a duas alturas, 0.92 m e 0,70 m do piso, medidos na face superior dos corrimãos. A largura deve ser de 3,5 a 4 centímetros, sendo feitos preferencialmente sem arestas vivas para não machucar os usuários.

Todos os degraus devem possuir sinalização tátil nas extremidades para evitar acidentes. A sinalização deve ser em cores contrastantes com o piso e possuírem largura entre 0,25m e 0,60m. 

 

Dê atenção aos sanitários das unidades de saúde 

Como todos os sanitários em espaços públicos, os da unidade de saúde também precisam estar adaptados. É feita uma cabine para cada gênero, sendo que precisam conter barras de apoio, sanitário adaptado e porta para separar o resto do ambiente da própria cabine. 

Além disso, essas são apenas algumas recomendações, um compilado de informações de várias leis, normas técnicas e estatutos. Você consegue conferir o documento base, criado pela Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência e a Secretaria Nacional de Direitos Humanos.

 

Ofereça informações para as pessoas com deficiência 

A Política Nacional de Saúde da Pessoa com Deficiência é uma das ferramentas adotadas pelo poder público. Ela diz respeito à reabilitação da pessoa com deficiência na capacidade funcional e no desempenho humano. Por isso, o Ministério da Saúde desenvolveu uma cartilha chamada “A Pessoa com Deficiência e o SUS”, na qual há um conjunto de informações necessárias para que os deficientes compreendam os direitos no setor de saúde. 

Como você pode ver, é importante pensar na acessibilidade para deficientes na área de saúde. Portanto, informe-se e adapte os espaços para que as pessoas com deficiência e mobilidade reduzida tenham a acessibilidade. Gostou do conteúdo? Leia o nosso próximo post sobre cota para deficientes nas empresas e acessibilidade nas indústrias! 

E-book: Acessibilidade na construção civil: importância dos projetos e a responsabilidade

Share This