Escolha uma Página

A acessibilidade no ambiente escolar é um assunto que nunca deveria sair de pauta. Isso porque mesmo quando atingirmos um patamar de inclusão total, ainda há muito o que fazer para tornar tudo ainda mais fácil, cômodo e adequado.

A questão é que aqui no Brasil nós estamos muito longe de atingir esse patamar. Na verdade, nós temos problemas em seguir as mais básicas recomendações da Lei de Acessibilidade nas escolas.

Em espaços como a escola, que recebe alunos de todas as esferas sociais e de todo tipo de perfil, é natural esperar que em algum momento pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida eventualmente vão aparecer por lá. É natural e lógico que as estruturas para o seu melhor aproveitamento estejam lá, esperando por elas.

A questão é que a acessibilidade no ambiente escolar não é tão simples assim. Existem vários pontos que precisam ser trabalhados, envolvendo comunicação, deslocamento, aproveitamento dos espaços, sistemas de avaliação, dentre outros. É sobre isso que falamos no artigo de hoje. Vamos ver?

Baixe gratuitamente nosso infográfico com todos os modelos e aplicações da plataforma e elevador de acessibilidade

A acessibilidade no ambiente escolar começa com a comunicação

Muito mais importante do que até o próprio deslocamento, a comunicação lida diretamente com a mensagem transmitida em sala de aula. A escola existe para convívio e ensino, ambos de grande importância, mas o ensino é ainda mais. É necessário um esquema de inclusão começando por aí, na maneira com que as aulas são ministradas.

Primeiro, o básico: se há crianças surdas, um intérprete de LIBRAS deve ser contratado pela escola para fazer a tradução simultânea. Da mesma forma, crianças com deficiências cognitivas precisam de acompanhamento de professores habilitados a tratar com elas.

Para crianças cegas, materiais didáticos em braille são simplesmente necessários. A escola que oferece esse sistema está melhor colocada para trabalhar a acessibilidade no ambiente escolar.

O ensino também é parte fundamental

É assim que se começa, mas dá para ir mais além. A tecnologia já é protagonista na vida de todos nós hoje, por que não seguir para a sala de aula? O uso de projetores interativos é um exemplo: ele facilita a inclusão de alunos incapacitados de comparecer à lousa e quebra o tabu de que eles “não estão participando”.

Dentro do próprio ensino, também há muito a ser feito. A inclusão de atividades que estimulam todos os sentidos e competências já é currículo, mas suas adaptações para pessoas com deficiência não. Seja criativo, invente algo que trabalhe competências como:

  • A própria LIBRAS;

  • A consciência espacial;

  • O movimento corporal;

  • A fala;

  • A extroversão;

E muito mais. Acessibilidade no ambiente escolar é extremamente importante, mas também é bem profunda para quem quer se jogar de cabeça.

Acesso é mais do que a lei de acessibilidade requer

Se você procurar ao longo da ABNT NBR 9050, é pouco provável que vá achar muito sobre os acessos para a escola. É garantido que você encontra informações sobre a acessibilidade nas escolas, e pouco sobre elas.

Investimentos foram feitos pelo Governo Federal e até continuam sendo feitos hoje em dia, mas em escala cada vez mais reduzida. Mesmo assim, quando o governo investe, são normalmente as escolas estaduais e municipais que se beneficiam.

O transporte escolar acessível deve ser direito de todos os que precisam. Não adianta a escola inteira estar acessível se o aluno não consegue chegar lá. Se você quer se destacar em relação à acessibilidade no ambiente escolar – e com isso elevar o prestígio da sua escola à níveis bem altos – precisa considerar o transporte.

Se pararmos para analisar, a função da escola é educar. Ela é o refúgio principal do aluno, que passará anos e anos aprendendo para se tornar um bom cidadão. As crianças dependem dela. Se alunos não estão conseguindo chegar, a responsabilidade em si não é da escola, mas a moralidade pede um esforço da parte dela.

E não é só contratar um ônibus adaptado: para trabalhar verdadeiramente a acessibilidade no ambiente escolar, é necessário um trabalho mais extenso. Monitores devem acompanhar a viagem, monitores esses que precisam se comunicar bem com as crianças. Nisso podemos incluir a LIBRAS e até treinamentos para lidar com deficiências cognitivas.

O mesmo vale para o motorista. Transformar a viagem em uma experiência comum, típica da infância, é o trabalho da escola preocupada com a acessibilidade no ambiente escolar.

Arquitetura de acordo com as leis de acessibilidade

Nós já tratamos extensivamente sobre as leis de acessibilidade ao longo do nosso blog. Já tratamos da acessibilidade em eventos, já falamos sobre as normas a serem seguidas nos condomínios, em áreas de lazer pela cidade, etc. Se o assunto é normas e leis de inclusão, pode ter certeza que nós já falamos sobre.

Acessibilidade no ambiente escolar

Mas ainda assim é extremamente necessário ressaltar a importância e o impacto que uma arquitetura focada na acessibilidade no ambiente escolar tem e provoca. Estamos lidando com crianças, e as crianças precisam das condições mínimas para aproveitamento da aula. Imagine se, ao chegar para estudar, os alunos percebessem que a sala não tem cadeiras?

Essa é a realidade de pessoas com deficiência quando não encontram acessibilidade no ambiente escolar. As condições mínimas não existem.

O melhor para trabalhar a inclusão no ambiente escolar é começar pelo mobiliário além das mesas e carteiras. Ele é realmente necessário? As mesas, armários e outras peças podem ser facilmente removidas para que o espaço fique maior e crianças cegas possam circular com maior confiança.

Outra questão: os banheiros. É necessário que adaptações sejam feitas de acordo com a NBR 9050. Esse ponto é básico, e um dos mais procurados em fiscalizações arquitetônicas.

Pisos táteis também são ótimas ideias, especialmente para crianças cegas. Elas dependem severamente dessas estruturas para se guiar para as outras partes da escola.

As adaptações são muitas para citar nesse finalzinho de artigo. O melhor a se fazer é estudar a NBR 9050 em conjunto com as outras leis para ter certeza de que seus esforços estão seguindo no caminho certo.

Vamos continuar a conversa no próximo artigo sobre acessibilidade nas escolas? Garantimos que ainda tem muito pra ser dito. Vem com a gente! 

Share This