Cuidados com a higienização de elevadores de acessibilidade

Cuidados com a higienização de elevadores de acessibilidade

Todos nós sabemos o quanto é importante cuidar da higiene, não é verdade? E com a pandemia do novo coronavírus, os cuidados com os elevadores de acessibilidade devem ser redobrados. Afinal, essa é a forma mais eficaz de prevenir o avanço da Covid-19 em condomínios, espaços públicos e privados.

No entanto, como fazer a higienização dos elevadores de acessibilidade? Isso é o que vamos abordar neste artigo. Também vamos falar a respeito dos cuidados que os usuários, principalmente os que têm mobilidade reduzida, devem ter ao utilizar o elevador. E aí, ficou interessado em aprender um pouco mais com a gente? Então, siga com a leitura!

 

Use lenço de papel para tocar botões dos elevadores de acessibilidade

Essa dica vai especialmente para quem utiliza o elevador de acessibilidade. Sempre que você acioná-lo, nunca toque nos botões sem uma luva ou um lenço de papel. Ao sair do equipamento, procure algum lugar em que possa lavar as mãos com sabão.

Caso não encontre, leve em sua bolsa um spray com um pouco de álcool gel 70%. Utilize para prevenir qualquer tipo de contato com as superfícies que podem estar contaminadas com o novo coronavírus.

Higienize os elevadores a cada duas horas

Dependendo do fluxo de pessoas, você deverá higienizar os elevadores de acessibilidade a cada duas horas. Essa é a recomendação da Associação Brasileira das Empresas de Elevadores (Abeel), que preparou uma cartilha com dicas preventivas para condomínios e demais espaços que fazem o uso do equipamento.

Tome cuidado com os produtos de limpeza

Não utilize produtos abrasivos ou corrosivos para limpar os elevadores de acessibilidade, pois eles poderão danificar os botões e os comandos dos equipamentos. Para os locais com aço inox, use detergente neutro com pouca água. O álcool 70% também é indicado para fazer a limpeza.

Em seguida, seque a superfície com um pano macio ou uma esponja de nylon. Você também pode usar produtos próprios para os detalhes inox. Esse tipo de produto garantirá o brilho no equipamento por muito mais tempo e formará uma película protetora.

Evite mangueira com água corrente

A mangueira com a água corrente não deve ser utilizada para higienizar os elevadores de acessibilidade. A água pode acumular nos componentes dos equipamentos e danificá-los.

Limpe botões e indicadores com um pano umedecido

Os elevadores de acessibilidade têm luminárias, botões e indicadores que devem ser limpos com um pano levemente úmido em água com sabão ou detergente suave ou neutro. Nunca esfregue os componentes com a esponja de aço.

Precisando de um Elevador de Acessibilidade? Solicite-nos um orçamento de um elevador de acessibilidade e conheça as principais vantagens! | JE Elevadores

Higienize os vidros e os espelhos

Você deve dar atenção aos vidros e espelhos dos elevadores de acessibilidade. Para deixá-los limpos, use produto disponível no mercado na categoria “limpa vidros”.

Para finalizar a limpeza, utilize panos macios e secos. Já as marcas de dedos devem ser removidas com um pano macio ou toalha de papel umedecidos em álcool isopropílico.

Deixe toalhas de papel próximas aos elevadores de acessibilidade

Não deixe que o usuário do elevador entre no equipamento sem uma toalha de papel. Para isso, disponibilize-a em um cantinho próximo aos elevadores de acessibilidade. Se no condomínio há um porteiro, deixe com ele e peça para que entregue a toalha a cada morador e oriente para que moradores e visitantes não chamem o elevador sem utilizar as toalhas descartáveis.

Quanto menos tocar nos botões sem proteção, mais os moradores vão se prevenir da Covid-19 e outras doenças.

Disponibilize álcool gel 70%

Temos visto em reportagens e vários médicos pedindo para higienizar as mãos com álcool gel, não é verdade? Portanto, se os elevadores de acessibilidade ficam em espaços que têm recepções, o ideal é disponibilizar álcool gel para que o usuário utilize antes de subir no elevador e depois que chegar ao andar escolhido. Compartilhe a ideia que sempre é melhor prevenir do que remediar!

 

Incentive a higiene dentro dos elevadores de acessibilidade

Aqui vale uma sugestão da JE Elevadores. Você pode deixar alguns cartazes de incentivo ou avisos nas proximidades dos elevadores de acessibilidade, com o objetivo de alertar as pessoas sobre a importância de mantê-los limpos.

Coloque recados como “Cuide de você e dos outros, utilize toalhas de papel para acionar o elevador” ou “Aqui você tem álcool gel para higienizar as suas mãos”. Essa é a melhor maneira de manter os elevadores de acessibilidade sempre limpos e longe do novo coronavírus.

Viu como é fácil fazer a higienização dos elevadores de acessibilidade? Agora que você já sabe, que tal cuidar dos equipamentos? E não se esqueça, em uma época onde falamos tanto sobre a Covid-19, é importante incentivarmos a higiene, pois somente com a união de todos venceremos a pandemia!

Precisa de um elevador de acessibilidade? Baixe o catálogo da JE Elevadores e confira o nosso produto!

8 Vantagens do elevador residencial

8 Vantagens do elevador residencial

O elevador residencial possui várias vantagens no seu uso. Ele oferece conforto e comodidade para quem anda de cadeira de rodas ou tem outro tipo de mobilidade reduzida.

Os elevadores residenciais ajudam a vencer desníveis que seriam intransponíveis e fazem com que a limitação de mobilidade se torne coisa do passado. Exemplos de equipamentos eficientes são os elevadores elétricos ou plataforma de acessibilidade.

No entanto, se você deseja conhecer um pouco mais sobre o elevador residencial, continue com a gente em nosso post. Entenda quais as principais vantagens deste equipamento!

1. Oferece mais acessibilidade

O elevador hidráulico para residências oferece mais acessibilidade. Essa é uma das principais vantagens de ter esse tipo de elevador.

Ele serve para cadeirantes, gestantes, idosos e demais pessoas com mobilidade reduzida e deficiência física. O equipamento garante a autonomia dessas pessoas, principalmente dos usuários de cadeira de rodas.

2. Aumenta o conforto da sua casa

Uma grande vantagem do elevador residencial é proporcionar o conforto das pessoas com mobilidade reduzida ou deficiência física em casa. Muitas vezes tido como secundário, o conforto diz respeito à qualidade de vida.

Você pode ter algum tipo de limitação de mobilidade e ainda assim ser plenamente capaz de subir as escadas, mas a tarefa pode ser desconfortável e ser difícil, principalmente para idosos.

Com o elevador residencial, o que era para ser difícil se torna simples e corriqueiro, e a qualidade de vida dá um salto com o conforto que ele oferece.

3. Dá mais segurança aos moradores

O elevador residencial garante a segurança da pessoa com mobilidade reduzida em relação a quedas. Para resolver essa situação, o elevador residencial possui guardas na lateral interna, e pode ser parado a qualquer momento da sua trajetória caso o passageiro sinta-se inseguro com o funcionamento.

A maior questão da segurança é a nossa incapacidade de prever acidentes, o que no caso da pessoa com mobilidade reduzida, torna-se ainda mais potencializado.

Assim, o bom mesmo é seguir a velha máxima: é melhor prevenir do que remediar. Do lado externo, possui uma chave geral, na qual bloqueia o equipamento e mantém as portas fechadas. Ela serve para travar a máquina para que outras pessoas não tenham acesso, como por exemplo, as crianças.

4. Faz você ir mais longe

O elevador é uma maneira de oferecer liberdade para as pessoas que necessitam de acessibilidade. Ele auxilia a sair de casa ou ajuda a chegar na cozinha, caso a sua casa tenha dois andares e possua muitas escadas. Portanto, o elevador residencial é o equipamento que faltava para você conseguir ir e vir em sua casa ou apartamento.

5. Tem custos reduzidos e manutenção garantida

Muitas pessoas não cogitam a instalação de um elevador residencial em casa pensando nos custos como o consumo de energia elétrica. No entanto, ele pode variar conforme o tipo e o modelo de elevador.

Também há preocupação com os custos da instalação de um elevador residencial. No entanto, apesar de você ter que fazer um investimento na instalação do equipamento, o preço é justo e de forma alguma é alto demais.

Além disso, muitas empresas oferecem pacotes de instalação com manutenção já incluída, que deve ser feita periodicamente. Assim, você só gasta uma vez, e já desfruta das vantagens do elevador residencial após a sua instalação.

6. Podem ser instalados em qualquer lugar

O elevador residencial pode ser instalado em qualquer lugar. Um dos melhores pontos do elevador residencial é a sua praticidade de instalação e suas dimensões compactas, que cabem em qualquer lugar e ainda oferecem o tamanho exato para proporcionar uma viagem tranquila e confortável ao passageiro.

Você pode encaixar o elevador residencial em lugares onde há movimento intenso de pessoas na casa e garantir a segurança de todos e a comodidade.Também dá para instalar em qualquer local que precise de uma conexão para as pessoas com mobilidade reduzida na casa, ligando quartos à cozinhas, salas de televisão, banheiros e onde mais for necessário.

7. Valoriza o imóvel

O elevador residencial também valoriza o seu imóvel. Ele agrega valor. Estima-se que a sua casa ou apartamento valorize entre 20% e 25% o imóvel, o que é importante caso você queira vendê-lo mais tarde.

8. Melhora a estética da sua casa ou apartamento

Independente da necessidade do elevador residencial, vale ressaltar que ele agrega melhoria estética ao projeto e isso sem precisar de muito espaço, pois há opções a partir de 2 metros quadrados. Os modelos são elegantes e que acompanham os materiais usados no restante da casa.

Agora você já sabe as vantagens do elevador residencial, não é mesmo? Portanto, quando comprar uma casa ou apartamento, prefira imóveis com esse tipo de elevador.

Gostou do conteúdo? Leia o nosso próximo post e confira algumas vantagens do elevador de acessibilidade!

Precisando de um Elevador de Acessibilidade? Solicite-nos um orçamento de um elevador de acessibilidade e conheça as principais vantagens! | JE Elevadores

Elevador para cadeirante nas empresas

Elevador para cadeirante nas empresas

Um dos grandes diferenciais para qualquer negócio é o elevador para cadeirante. Ele é importante para quem tem mobilidade reduzida. O equipamento traz impactos positivos na sua empresa e aumenta a lucratividade.

Além disso, ter um elevador é algo que se tornou uma necessidade para quem deseja respeitar a Lei de Acessibilidade nas empresas.

No entanto, para que você entenda as vantagens do elevador para cadeirante, preparamos este post. Nele, você vai descobrir alguns motivos para adquirir o equipamento que também serve para edifícios comerciais.

Quer entender porque a sua empresa deve investir em um elevador para cadeirante? Então, continue com a leitura do nosso artigo!

[infográfico] Modelos e Aplicações da Plataforma e Elevador de Acessibilidade | Baixe grátis | JE Elevadores

Por que investir em um elevador para cadeirante?

Em primeiro lugar, para promover a inclusão das Pessoas com Deficiência (PCDs). Você sabia que o Brasil possui 45,6 milhões de pessoas deficientes ou com mobilidade reduzida? Para você ter ideia, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Censo 2010 revelou que isso corresponde a 24% da população. O resultado dessa estatística significa que os empregadores devem implantar ações que atendem as pessoas deficientes e com mobilidade reduzida.

No entanto, só dá para colocar essas ações em prática se elas forem bem planejadas. Outro ponto que você deve pensar é no processo seletivo para PCDs. Quando você tem conhecimento do assunto, fica mais fácil saber quais são as demandas do entrevistado e, assim, adequar a empresa às suas necessidades.

Neste sentido, podendo ser instalado, o elevador para cadeirante pode significar muito para quem trabalha na sua empresa. Afinal, você vai garantir o direito de ir e vir à quem é o seu colaborador, não é verdade? E isso fará com que as pessoas vejam a sua organização com bons olhos e até queiram fazer parte da sua equipe de trabalho.

Qual é a importância de respeitar as normas de acessibilidade?

A empresa que instala um elevador para cadeirante leva a sério as normas de acessibilidade. A Lei de Cotas, nº 8.213, criada em 1991, determina que a empresa que tiver 100 funcionários ou mais é obrigada a preencher o seu quadro com 2% a 5% de deficientes físicos e com mobilidade reduzida.

Vale lembrar que segundo a Convenção Internacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o conceito de deficiência é definido como as pessoas com impedimentos a longo prazo, de natureza intelectual, mental, física ou sensorial e que não conseguem participar ativamente da sociedade em igualdades e condições com as demais pessoas.

Você também precisa entender que a norma brasileira ABNT 9050 estabelece os critérios que devem ser adotados para alcançar todas as condições de acessibilidade nas empresas. Assim, se você deseja investir em acessibilidade, confira essa norma e observe todos os itens que devem ser seguidos.

E é importante ressaltar que as empresas que trabalham a acessibilidade e investem em um elevador para cadeirante mostram que acolhem as pessoas. Elas motivam quem procura por seus produtos ou serviços.

Precisando de um Elevador de acessibilidade Solicite-nos um orçamento de um elevador de acessibilidade! Condições especiais!

Quais empresas investem em acessibilidade?

As grandes organizações têm se preocupado com o social e investido em acessibilidade. Veja alguns exemplos de marcas que você conhece e que são reconhecidas pelos trabalhos que fazem:

Natura

A Natura valoriza seus colaboradores. Além da sua visão de sustentabilidade para 2050 e o respeito ao meio ambiente, a empresa traz uma Rede de Relações como um dos seus principais pilares. Ela tem os colaboradores como o centro do negócio. Logo, ela cumpre a Lei de Cotas e também tem como meta anual a contratação de PCDs, que é superior a cota exigida por lei.

E o resultado de tudo isso? A marca é amada por muitas pessoas, pois é referência em sustentabilidade e também em inclusão de verdade. Sem dúvida, um modelo que pode servir de inspiração.

Grupo Pão de Açúcar

Em 2016, o Grupo Pão de Açúcar assinou um pacto pela inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. O objetivo é que até este ano (2020), a empresa empregue 8 mil colaboradores com deficiência. Bom, não é mesmo? Além disso, o documento estabelece diretrizes e metas para a promoção de uma cultura interna e de um ambiente de inclusão e acessibilidade nas empresas.

Tudo isso faz o Pão de Açúcar ser mais do que uma organização. Mostra realmente qual é o seu papel como empresa na sociedade, que é oferecer oportunidade de trabalho e respeitar a acessibilidade das pessoas.

O que o elevador para cadeirante representa na sua empresa?

Depois de ter visto algumas iniciativas realizadas pelas organizações, você pode se perguntar o que elevador para cadeirante representa na sua empresa.

Podemos dizer que muita coisa! O elevador é uma grande oportunidade para demonstrar o quanto as pessoas são importantes.

Ele é um bem valioso, pois é por causa desse equipamento que você irá garantir o direito de ir e vir de quem trabalha com você ou frequenta o seu empreendimento.

E como resultado de todo o seu investimento, você verá clientes e colaboradores apaixonados por sua iniciativa. Com o elevador, você ganhará credibilidade e admiração de todos.

A JE Elevadores fabrica um elevador para cadeirante que serve tanto para o uso residencial ou comercial e oferece qualidade e funcionalidade.

Ele possui um design moderno e que se encaixa nos mais variados estilos arquitetônicos sem comprometer a estética do conjunto.

O equipamento é perfeito para você que tem uma empresa ou investe em compra e venda de apartamentos, coberturas ou casas de maior valor agregado.

Quer ler mais conteúdos interessantes como esse? Veja o que a falta de acessibilidade nas empresas pode ocasionar!

[e-book] Acessibilidade na construção civil: importância dos projetos e a responsabilidade | Baixar grátis | JE Elevadores

Entenda os direitos das pessoas com mobilidade reduzida em viagens de avião

Entenda os direitos das pessoas com mobilidade reduzida em viagens de avião

Se você possui mobilidade reduzida, saiba que os passageiros com deficiência podem contar com assistência durante as viagens aéreas. A maioria dos serviços para pessoas com deficiência em aeroportos é gratuito. Além disso, todas as facilidades de acessibilidade devem obedecer à norma NBR – 14273, que garante a acessibilidade à pessoa com deficiência. E isso vale tanto para condições físicas quanto mentais, como quem tem Síndrome de Down.

No entanto, como a lei funciona na prática? Quais os direitos que as pessoas com mobilidade reduzida têm em viagens de avião? Essas são perguntas que responderemos neste artigo. Acompanhe a leitura!

Como funciona a lei em aeroportos para as pessoas com mobilidade reduzida?

Segundo o Censo Demográfico de 2010, no Brasil, 24% dos brasileiros declaram ter algum tipo de deficiência. Este número pode variar, mas o fato é que, uma parcela significativa da população possui algum tipo de deficiência em maior ou menor grau. E cada vez mais,  PCD (Pessoa com Deficiência) e PNE (Pessoa com Necessidades Especiais) participam da sociedade.

Neste contexto, a  resolução 289/2013 da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), descreve os procedimentos que os aeroportos e companhias aéreas devem adotar para que os direitos dos passageiros com necessidade de assistência especial (PNAE) sejam garantidos. Os PNAE são pessoas com deficiência, mobilidade reduzida, indivíduos a partir de 60 anos, lactantes, gestantes ou com crianças de colo.

Segundo a lei, essas pessoas devem ter a mesma experiência que os demais passageiros, usufruindo dos mesmos direitos e tendo acesso às mesmas instruções e serviços, com assistência prioritária e especial, sem custos adicionais. O auxílio, por sua vez, deve ser oferecido pela empresa contratada, a partir do momento que é feito o check-in até o desembarque ou conexão.

Quais os direitos que as pessoas com mobilidade reduzida têm em viagens aéreas?

Assistência no embarque e desembarque

As companhias aéreas devem oferecer todo o suporte necessário para o embarque e desembarque de quem é PCD. Esse cuidado. deve se adequar ao grau de necessidade do passageiro. A assistência deve se iniciar pelo deslocamento do balcão de check-in, controles de fronteira e de segurança, até a aeronave.

Se você tem mobilidade reduzida ou qualquer outro tipo de deficiência, é assegurado o direito de assistência na acomodação no assento, e o deslocamento dentro da aeronave. Você também deverá receber assistência até às instalações sanitárias.

Acessibilidade no Transporte Aéreo Comercial

A acessibilidade no transporte aéreo comercial deve ser gratuita e abrangente. Todos passageiros com mobilidade reduzida ou qualquer outro tipo de deficiência devem ter os seus direitos garantidos pela norma NBR – 14273, que garante a acessibilidade à pessoa com deficiência no transporte aéreo comercial.

Acompanhamento no portão de saída

Em casos do seu voo ser transferido ou você tiver conexão entre vôos, o deslocamento é feito pela área de restituição de bagagem até a saída da área de desembarque e acesso à área pública.

Ajuda com o armazenamento da bagagem

Pessoas com deficiência e mobilidade reduzida também têm assistência na acomodação da bagagem de mão na aeronave. O recolhimento da mesma quando é despachada, bem como o seu acompanhamento nos controles de fronteira.

Direito a cadeira de rodas

Á pessoa com mobilidade reduzida é assegurado o direito a cadeira de rodas. No entanto, o transporte deve ser identificado, com etiquetas no despacho de bagagens. Os funcionários da companhia aérea devem prestar atendimento de acordo com as orientações do próprio cadeirante, quanto ao armazenamento. É importante saber que as cadeiras de rodas motorizadas só poderão embarcar se forem equipadas com baterias de gel.

Assistência aos usuários com cão guia

Todas as companhias aéreas devem prestar assistência aos usuários com cão guia. Quem é PNAE e precisa de cão guia, pode levá-lo gratuitamente na cabine do avião. No entanto, é necessário apresentar a sua identificação e a do cão guia, e comprovar seu treinamento com o animal.

O cão deve ter coleira e ser acomodado no chão, aos pés ou embaixo do assento do passageiro, de modo que não obstrua o corredor da aeronave. Também é necessário apresentar o atestado de saúde do animal e o comprovante de vacinação antirrábica assinados por um médico veterinário.

Explicação individual sobre os procedimentos de emergência

Em todos os vôos, um membro da tripulação explica aos passageiros os procedimentos de emergência.  No caso de quem tem mobilidade reduzida ou qualquer outro tipo de deficiência, a demonstração dos procedimentos de emergência deve ser feita pelos comissários de bordo de maneira individual. Assim, você poderá tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto.

Você só poderá viajar sozinho se:

  • Usar o banheiro sem ajuda;
  • Se alimentar sozinho;
  • Aplicar a medicação, se necessário;
  • Usar a máscara de oxigênio de forma independente.

Caso não se enquadre em nenhum dos pontos acima, terá que ter o acompanhamento de outra pessoa. Seu acompanhante deverá ter mais de 16 anos e estar fisicamente apto para te auxiliar.  Em alguns casos, também poderá ser necessária a companhia de um profissional como, médico ou enfermeiro.

Se você sentir que algum direito seu foi violado, denuncie para ANAC (163) e para a Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos (Disque 100). Assim, como órgãos de defesa do consumidor e ao Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conade).  Leia o código 280/2013 da ANAC e as especificações de cada companhia aérea antes de comprar a sua passagem.

Como viajar com tranquilidade?

  • Avise a companhia aérea sobre a viagem com pelo menos 48 horas antes da partida programada;
  • Forneça informações como necessidades de suprimento de oxigênio, medicamentos transportados que exijam condições especiais, entre outras;
  • Consulte a opinião do seu médico sobre a viagem.

Agora que você conhece os direitos dos passageiros com mobilidade reduzida, poderá viajar com mais tranquilidade e conforto nas suas próximas férias, não é mesmo? Você investidor, fique atento também a lei que garante a acessibilidade a pessoa com deficiência nos aeroportos.

Quer ler mais conteúdos? Acesse o nosso próximo post e veja a acessibilidade e o poder da diversidade e inclusão nas empresas!

[e-book] Por que investir em acessibilidade para eventos? Baixe nosso e-book e descubra todas as possibilidades e regras para este negócio | JE Elevadores

Projeto de acessibilidade na arquitetura

Projeto de acessibilidade na arquitetura

Entender o projeto de acessibilidade na arquitetura requer um pensamento mais amplo, diferente do que é feito em grande parte das adaptações para pessoas com mobilidade reduzida em estruturas como prédios públicos, áreas residenciais e estabelecimentos comerciais.

Isso se torna evidente inclusive durante esse próprio parágrafo: note que usamos a palavra “adaptação”, que na realidade das pessoas com mobilidade reduzida se traduz em tornar um ambiente muitas vezes intransponível para elas em um com as mínimas condições de locomoção. Esse não deveria ser o objetivo do projeto de acessibilidade na arquitetura.

Pode parecer que estamos falando contra a causa do projeto de acessibilidade, mas na verdade é o contrário. Quer saber mais sobre esse debate? Então continue a leitura!

O projeto de acessibilidade na arquitetura foca na mobilidade

O que muitos profissionais de arquitetura e da engenharia falham em perceber é que não devem haver adaptações para atender as condições mínimas de locomoção das pessoas com mobilidade reduzida: na verdade, todo o design da estrutura deve ser pensada de forma a propiciar essas condições.

Uma andorinha só não faz verão, assim como uma única rampa de acesso não é o suficiente para que o projeto de acessibilidade seja satisfatório. E o espaço dos corredores? E o tipo de piso utilizado? Será que ele é propício para o trânsito com bengalas, muletas ou cadeiras de roda?

O projeto de acessibilidade, quando bem pensado, procura resolver todas as dificuldades das pessoas que podem vir a frequentar aquela localidade, mas não de forma pontual: é necessário ter uma grande abrangência para garantir não apenas condiçõe básicas, mas o conforto de todas as pessoas, com mobilidade reduzida ou não.

E é aí que entra um conceito interessante, que procura ir além da concepção do projeto de acessibilidade: o desenho universal. Continue lendo para descobrir o que ele é!

O que é o Desenho Universal?

Ao final da segunda guerra mundial, a população americana que apresentava mobilidade reduzida cresceu consideravelmente, principalmente devido aos ferimentos de guerra. Quando esses veteranos voltaram para casa, descobriram que grande parte das estruturas não contemplava o uso de muletas, bengalas ou cadeiras de rodas, e não havia nenhum tipo de auxílio de locomoção para pessoas cegas pela rua.

Assim, nessa época foi criado o Desenho Livre de Barreiras, que mais tarde passou a se chamar o Desenho Universal. O Brasil abraçou essa iniciativa com o seu boom de crescimento urbano nos anos sessenta, e hoje em dia o Desenho Universal é o principal norteador do projeto de acessibilidade na arquitetura.

A própria ABNT se baseou nos seus preceitos para a elaboração da NBR 9050, que regula o projeto de acessibilidade na engenharia. Porém, mesmo com os esforços feitos, as recomendações do Desenho Universal não são todas seguidas à risca.

uso equitativo, flexibilidade no uso, uso simples e intuitivo, informação perceptível, tolerância ao erro, baixo esforço físico e tamanho e espaço para aproximação e uso.

O projeto de acessibilidade que se pauta inteiramente no desenho universal apresenta sete guias principais. São elas:

  • Uso Equitativo: o entendimento que todos devem ser capazes de se movimentar sem barreiras;

  • Flexibilidade no uso: a criação de várias opções para as mais variadas limitações;

  • Uso simples e intuitivo: é a facilidade de usar as soluções do projeto de acessibilidade de forma intuitiva, sem precisar de instruções para entender como a estrutura funciona;

  • Informação perceptível: é a sinalização adequada das opções de mobilidade dentro do projeto de acessibilidade;

  • Tolerância ao erro: a possibilidade de errar sem ter riscos à integridade física do usuário;

  • Baixo esforço físico: é a opção de não ter que realizar muito esforço para utilizar um item do projeto de acessibilidade;

  • Espaço para aproximação e uso: diz respeito ao espaço suficiente para se locomover e utilizar as soluções de acessibilidade;

 

A tecnologia no projeto de acessibilidade

Hoje em dia, já fizemos muitos avanços no campo tecnológico capazes de oferecer grandes vantagens ao projeto de acessibilidade. Uma delas é o elevador de acessibilidade.

Podendo ser inserido em qualquer estrutura e em espaços reduzidos, o elevador de acessibilidade é capaz de vencer desníveis com facilidade e, principalmente, sem muitos gastos para o proprietário.

Incluir o elevador no seu projeto de acessibilidade, na época em que vivemos, não é apenas uma questão de querer inserir a pessoa com mobilidade reduzida: é um esforço cidadania e respeito, principalmente pelas facilidades que ele traz sem custos ou manutenção elevada.

Se quiser saber mais a respeito dessas soluções para o seu projeto de acessibilidade, não deixe de conhecer a JE Elevadores. Somos especialistas no assunto e trabalhamos todos os dias para oferecer o melhor para o seu projeto de acessibilidade.

E para mais conteúdo relevante como esse, não deixe de seguir o nosso blog, ok? Até a próxima!