5 erros na limpeza de elevadores e plataformas de acessibilidade

5 erros na limpeza de elevadores e plataformas de acessibilidade

Cuidar da limpeza de elevadores ou plataformas de acessibilidade é uma atividade rotineira. Inclusive, sabemos que, na maioria das vezes, ela acontece no “piloto automático”. 

No entanto, é aí que mora o perigo, pois existem diversos cuidados para ter na hora de realizar a higienização correta. Essa atenção especial é importante para evitar a danificação dos equipamentos.

Por exemplo, utilizar produtos químicos inadequados pode prejudicar o funcionamento do elevador. Então, é preciso ter cautela e conferir quais são as melhores práticas para promover uma limpeza completa e eficaz.

Vamos aprender mais sobre o assunto? 

Continue conosco e confira 5 erros na limpeza de elevadores e saiba como evitá-los. Boa leitura!

 

1. Lavar o elevador ou plataforma de acessibilidade com mangueira e água corrente

A água corrente é uma grande aliada da limpeza pesada. No entanto, ela, assim como as mangueiras, não podem ser utilizadas na limpeza de elevadores ou plataformas de acessibilidade.

Isso porque, a água pode ficar acumulada e danificar os componentes do elevador, além de facilitar desta forma a oxidação.

 

2. Utilizar produtos químicos e abrasivos

A água sanitária é uma das queridinhas na hora da limpeza. Afinal, ela é responsável por promover uma higienização completa em todos os cômodos das casas e empresas. No entanto, quando o assunto é limpeza de elevadores ou plataformas de acessibilidade, ela deve ser evitada.

Afinal, trata-se de um produto químico abrasivo que pode danificar tanto a estrutura quanto a sua estética. Portanto, é melhor não arriscar. 

Além disso, não é recomendado utilizar esponjas ásperas, buchas, escovas e outros materiais que possam danificar.

Novamente: um pano macio e umedecido é a melhor alternativa. Você também poderá utilizar detergente neutro.

 

> Você também pode gostar de conferir: Cuidados com a higienização de elevadores de acessibilidade

 

3. Não definir horários para a limpeza 

Convenhamos, limpar os elevadores e plataformas em horários em que há muito fluxo de pessoas não é interessante, certo? Os horários de pico devem ser evitados.

Precisamos considerar que a limpeza deve ser diária. Então, estude qual é o melhor horário para realizá-la a fim de  que essa atividade seja realizada de forma tranquila.

Lembre-se de que é importante apostar em horários com baixo movimento (à noite é uma ótima ideia). Se isso não for possível, o equipamento de acessibilidade precisa ser interditado na hora da limpeza. Assim, você evita acidentes na hora da higienização do elevador.

 

4. Não seguir as recomendações do fabricante

Quando uma empresa realiza a instalação, ela orienta as pessoas sobre quais são as boas práticas para que ele opere com segurança. Inclusive, a equipe responsável deve prestar as informações adequadas sobre a limpeza.

Portanto, saiba que ignorar essas recomendações e orientações só trará prejuízos. Afinal, você pode danificar alguma peça, comprometer a segurança e, até mesmo, diminuir a vida útil do equipamento.

Então, se você estiver em dúvida com relação a um procedimento ou a algum produto, vale a pena entrar em contato com a empresa fabricante que instalou o seu. 

Sendo assim, não fique com dúvida: sempre solicite os esclarecimentos adequados.

 

5. Usar álcool gel em excesso 

Principalmente com a pandemia, as pessoas começaram a limpar tudo com álcool em gel. No entanto, principalmente em locais mais delicados (como os botões e indicadores), é preciso ter cuidado.

O uso excessivo pode fazer “escorrer” o álcool dentro das máquinas. Dessa forma, pode, inclusive, queimar algum componente. Então, é preciso ter muito cuidado na hora da limpeza — principalmente na parte elétrica.

Você gostou de aprender mais sobre os principais erros na limpeza de elevadores? 

Sabia que a JE Elevadores é especializada em fabricar elevadores de acessibilidade? 

Os elevadores de acessibilidade da JE Elevadores são projetados de acordo com a necessidade de cada cliente. 

Então, todos os materiais são selecionados por uma equipe realmente qualificada para garantir total segurança, conforto e qualidade para todos os projetos.

Além disso, prestamos todas as orientações com relação à manutenção e limpeza de elevadores. Portanto, não precisa se preocupar: estaremos sempre ao seu lado para tirar todas as suas dúvidas.

Quer saber mais?

Aproveite e conheça um pouco mais sobre a JE Elevadores. Conheça a nossa empresa e os nossos serviços clicando aqui.

 

Acessibilidade direito de todos | Entre em contato

10 dicas para você começar a investir em acessibilidade já!

10 dicas para você começar a investir em acessibilidade já!

Investir em acessibilidade é uma necessidade de qualquer empreendimento, tanto para dar a sua contribuição para um mundo mais democrático, onde todas as pessoas podem ir e vir para onde quiserem, quanto para faturar mais.

Faturar mais? Sim! Investir em acessibilidade significa adereçar a um público que, infelizmente, encontra-se muitas vezes com obstáculos para frequentar certos espaços e estabelecimentos.

Dessa forma, investir em nela amplia a clientela de um estabelecimento e o coloca em posição de vantagem para pessoas com mobilidade reduzida: elas vão preferir você, que cria maneiras fáceis de acesso.

Quer começar a investir em acessibilidade agora mesmo? Separamos dez dicas para você começar! Continue a leitura para saber mais!

1 – Planeje bem os caminhos

Investir em acessibilidade não é o mesmo que somente instalar algumas rampas no seu estabelecimento e pronto.

Na verdade, é necessário criar condições para que a pessoa com mobilidade reduzida consiga trafegar pelo espaço sem maiores empecilhos, e para isso, é necessário entender como a sua estrutura funciona.

Procure por posições estratégicas, entenda o fluxo dos seus clientes e insira recursos de acessibilidade de acordo!

2 – Seja abrangente

Não adianta nada instalar rampas e elevadores de acesso e se esquecer do piso tátil.

Da mesma forma, se você coloca avisos em braile indicando onde é o toalete, o próprio deve ser acessível para todas as pessoas.

Pense alto e pense com abrangência! Instale equipamentos para que todos possam se locomover com segurança e facilidade no seu estabelecimento.

3 – Não ignore o digital

Você tem uma página na internet? Muito bom! Mas sabia que há uma forma de investir em acessibilidade no mundo digital?

Você pode instalar aplicativos que leem suas páginas e também contratar agências para narrar seus artigos no blog. Assim, pessoas cegas conseguem se aproveitar de tudo o que você tem a oferecer sem maiores transtornos.

4 – Converse com seu público

Quando o assunto é investir em acessibilidade, nunca é demais conhecer bem as necessidades das pessoas que você procura contemplar.

Se você já possui um ambiente acessível, perceba como é o acesso aos seus recursos e se eles estão dando conta do recado. Converse com as pessoas com mobilidade reduzida e entenda o que elas precisam, onde você precisa melhorar e o que mais você pode fazer.

Quando se trata de investir em acessibilidade, menos nunca é mais!

5 – Procure por situações excludentes

Investir em acessibilidade é um trabalho que nunca acaba. Como dissemos, sempre há espaço para melhorar, e mesmo que você ache que tudo está resolvido, sempre haverá um empecilho para a mobilidade total.

E esse é o objetivo de investir em acessibilidade: o acesso a todos os lugares, sem excessão. Tem uma piscina? Muito bom, mas será que as pessoas com mobilidade reduzida conseguem acessá-la? Qual é a altura dos seus balcões e mesas? Você possui desníveis no estabelecimento?

Fique de olho na sua estrutura e procure investir em acessibilidade de acordo!

6 – Use a empatia

As pessoas com necessidades especiais de mobilidade são, acima de tudo, pessoas. Elas tem os mesmos anseios e necessidades que todas as outras, sendo que o que você oferece em termos de experiência de compra ou desfrute de serviços, deve ser universal.

O banheiro para deficientes é exatamente isso, para deficientes. Ele deve estar em boas condições e, se possível, ser reservado apenas para o uso destes. O mesmo para as vagas, que devem ser controladas para evitar problemas na locomoção, e todos os seus equipamentos.

7 – Entenda o custo benefício

Construir uma rampa pode sair muito caro dependendo da altura do desnível a ser vencido, sendo que uma ideia melhor seria instalar um elevador de acessibilidade.

Avaliar o custo benefício ao investir em acessibilidade não é um pecado: na verdade, ele está relacionado com a sua capacidade de atender a todos dentro do seu orçamento. Os recursos mais simples de instalar, em muitos casos, atendem o cliente tão bem quanto qualquer outro.

8 – Não se esqueça da manutenção

Investir em acessibilidade é ótimo, mas se você não realiza um trabalho de manutenção, todo o seu esforço pode ser em vão.

Veja se a empresa com a qual você trabalha possui um plano de manutenção incluído e como ele funciona, e cobre as rotinas de reparos acordadas. Um equipamento de mobilidade que não funciona chega a ser até pior do que não ter nenhum.

9 – Investir em acessibilidade é com um fornecedor idôneo

Ao investir em acessibilidade, tenha certeza de estar lidando com um fornecedor idôneo, que presta serviços de qualidade e oferece os melhores produtos possíveis.

Não se esqueça que investir em acessibilidade afeta diretamente a segurança das pessoas com mobili

dade reduzida, e qualquer trabalho feito errado pode causar acidentes que você poderia facilmente evitar.

10 – Conheça as melhores maneiras de dar acessibilidade

Você conhece todos os modelos de elevadores de acessibilidade? Sabe operá-los? Será que esse modelo é o melhor para a sua estrutura?

Sempre procure por maneiras alternativas de oferecer o melhor para os seus clientes com necessidades especiais, e esteja por cima dos avanços tecnológicos!

E falando em investir em acessibilidade e segurança, que tal conhecer mais sobre os elevadores de piscina? Veja nosso próximo artigo sobre esse tema no nosso blog!