Escolha uma Página

O crescimento vertical das grandes cidades não é de agora. Desde a década de 80, quando a vida em apartamento passou a se popularizar, cada vez mais vemos um horizonte cercado de prédios e edifícios.

Isso significa que, principalmente nas grandes cidades, o número de prédios antigos não é pequeno. Nos grandes centros e em bairros tradicionais, inclusive, eles dominam o cenário.

O grande problema, contudo, é que essas construções foram feitas para demandas antigas, passando não mais a atender as necessidades do homem moderno. É aí, então que surgiu uma demanda no mercado pela reabilitação de edifício.

Continue lendo e descubra como a reabilitação é feita e o que você deve considerar na hora de montar o seu projeto!

Afinal, o que é a reabilitação de edifício?

Reabilitar um edifício é como chegar à sua mesa de escritório que está há dias sem ser organizada e colocar tudo no lugar novamente. Você vai fazer aquela limpa nas gavetas, na mesa, e ainda acrescentar novas ferramentas, como um organizador de papéis, que poderão otimizar a distribuição dos itens e ainda o seu trabalho.

A reabilitação acontece seguindo o mesmo processo, porém aplicado à arquitetura e à engenharia. Isso porque edifícios antigos perdem com o tempo muito de sua usabilidade, e é preciso pensar em como adaptá-los às necessidades atuais.

Isso é válido tanto para edifícios comerciais quanto residenciais. Mais do que uma simples reforma, a reabilitação de edifício envolve uma série de ações que buscam modernizar a construção, corrigir falhas, readequar instalações e deixá-la mais funcional para atender melhor o usuário moderno.

Como é feita a reabilitação de edifício?

Qualquer prédio antigo, como falamos, perde funcionalidades com o passar do tempo e precisa de adaptações. Essas adaptações envolvem não só itens para atender novas demandas do consumidor, mas também adequar o edifício às novas leis e exigências legais que também mudam ao longo dos anos.

O conceito de reabilitação busca revitalizar o prédio, conservando seus aspectos originais, mas adaptando-os para atender novos padrões. Para começar, é feito um estudo verificando a viabilidade econômica do projeto. Em seguida, será feita a elaboração dos estudos preliminares de viabilidade técnica, elaboração do projeto e avaliação da relação entre custo e benefício.

A reabilitação de edifício não só traz benefícios para quem efetivamente usa a edificação, sejam moradores ou funcionários de uma empresa, como também ajuda a reduzir gastos com manutenções e com a conta de energia (aumentando a eficiência energética dos sistemas do edifício).

Por que pensar na acessibilidade durante uma reabilitação de edifício?

Entre as diversas demandas que devem ser cumpridas em um projeto de reabilitação, podemos destacar a necessidade de deixar o edifício acessível para pessoas com deficiência ou dificuldade de locomoção.

Isso porque, em primeiro lugar, a acessibilidade atualmente é lei. Há no país muitas legislações voltadas para o assunto, que estão em vigor há pelo menos uma década. Como a norma federal NBR 9050, de 1994, revisada pela terceira vez em 2015, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção dos portadores de deficiência ou com mobilidade reduzida.

Outro ponto a se considerar é que além dos 45.6 milhões de brasileiros com alguma deficiência física, a população do país está envelhecendo, com expectativa de vida atingindo os 71,2 anos para homens e 78,5 anos para mulheres, segundo dados do IBGE.

Ou seja, a acessibilidade é uma demanda cada vez maior para atender esse público. Os projetos de reabilitação de edifícios, portanto, devem seguir essa tendência e pensar não só instalação de rampas e elevadores de acessibilidade que facilitem a vida de quem tem dificuldade locomoção.

Gostou de aprender sobre a reabilitação de edifícios? Curta nossa página no Facebook e acompanhe de perto todas as nossas novidades!

Share This